Conheça mais sobre os animais exóticos e a moda

Ainda sem cor, com textura “crua” elas seguem para curtumes onde a finalização do processo lhes proporciona grande parte de seu valor qualitativo.

Foi-se o tempo em que tais peles eram encontradas oriundas de contrabandos. Hoje, com documentos que atestam sua origem, as peles exóticas representam uma fatia premium do mercado. Certificações do Ibama (no Brasil) e na Cites no (estrangeira) garantem e atestam o cumprimento das leis de preservação ambiental.

Os países do sudeste asiático como Malásia, Indonésia e Tailândia são os maiores fornecedores dessas peles. A Python reticulatus ou como conhecemos o couro de píton pode alcançar mais de sete metros de comprimento.
Atualmente o couro de crocodilo pode ser importado, no entanto, a produção nacional vem da região do Pantanal Mato-grossense. De fato, o jacaré do Pantanal criado em cativeiro, mais precisamente nos arredores da cidade de Cáceres, abastece o mercado significativamente desde o inicio deste século.
Inovando o mercado do couro exótico entra em cena o Pirarucu, peixe amazônico cujas fibras sustentam maior tensão que aquelas do couro bovino.
A partir de pesquisas promovidas pelo Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia- INPA, o couro deste peixe que pode chegar a três metros de comprimento, pesar 200 quilos e se encontra em extinção na natureza, passou a ser usado como matéria prima na produção de sapatos e bolsas. A comercialização do couro do Pirarucu é feita a partir de animais criados em viveiros.

Outro peixe muito apreciado é a arraia, pele também conhecida sob o nome Galuchat. No Brasil, a arraia chega por importação e em seguida passa por processos de finalização de curtimento.

Weni Maranhão, designer brasiliense de bolsas e carteiras, é conhecida por sua opção em trabalhar com couros exóticos. “Me encanto com a beleza dessas peles” , confidencia. A coleção de inverno 2012 acaba de chegar em seu atelier na Asa Sul e Weni já começa a criar para a próxima estação.

Para o verão 2013 os materiais eleitos por Weni são o croco, a píton, e a arraia, realçados com brilhos e pedrarias. A cartela de cores que segue com o branco e camel incorporam o turquesa, laranja e mostarda. As peles de pirarucu e de salmão chamaram atenção da designer que as considera inovações.